Make your own free website on Tripod.com

A VERDADE

Acima de Tudo!

 

 

 

...todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo! I Cor 8:6

32 – A Origem da trindade

 

 

 

 

 

 

 

 

 Tertuliano, sacerdote católico e autor de várias obras, que viveu entre os séculos 2 e 3,  foi quem criou a filosofia que se denominou de Trindade: “Tres Personae, una substantia” (texto original em latim).

 

Hoje, essa filosofia foi incorporada na Crença Fundamental  N° 2 da Igreja Adventista:  “Há um só Deus, que é uma unidade de três pessoas coeternas.”

 

O que mais fez Tertuliano? Basta consultar a Enciclopédia Católica:

 (http://www.newadvent.org/cathen/14520c.htm)

 

1. Foi quem instituiu o “Sinal da Cruz”.

2. Foi quem instituiu a absolvição. (um perdão que vale para os pecados futuros).

3. Foi quem instituiu a penitência.

4. Foi quem instituiu a transubstanciação na eucaristia, que é a crença de que o pão e vinho se transformam realmente no sangue e na carne de Jesus Cristo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Enciclopédia Britânica 1974/1979 Volume 10 pg.126

 

Tradução:


A doutrina se desenvolveu gradualmente através de vários séculos e passando por  muitas controvérsias.  Inicialmente, por duas razões, a exigência do monoteísmo herdado do Velho Testamento, e a implicação pela necessidade de interpretar os ensinamentos da Bíblia para o paganismo Grego-Romano...

 

Não foi antes do 4º Século que a distinção dos três em sua individualidade, foi juntada numa única e ortodoxa doutrina; uma essência e 3 pessoas.

O Concílio de Nicéia em 325 declara a fórmula crucial para esta doutrina [trindade] que o Filho é da mesma essência (homo ousios) do Pai, embora tenha dito muito pouco sobre o Espírito Santo.  No decorrer do seguinte meio século, Anastásio defendeu uma fórmula mais refinada de Nicéia e lá pelo final do século, sob a liderança de Basil (Basílio) de Cesaréia, Gregório de Nissa e Gregório Nazianzo (Padres da Capadócia) a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma que é mantida desde então.

 

É importante constatar que o aparecimento da doutrina da trindade não foi antes do 4° Século, e a origem gradual aconteceu em ROMA.

 

O termo Trindade foi usado pela primeira vez por Teófilo de Antioquia no II século. A doutrina da Trindade é uma inferência com base bíblica, conforme é declarado em: José Carlos Ramos, “Santíssima Trindade” (estudo não duplicado, Instituto Adventista de Ensino - Campus Central, 1996), 1.

 

Informação contida em literatura adventista:

 

“Deus existe na forma de uma unidade de três pessoas co-iguais e coeternas: Pai, Filho e Espírito Santo. Essa ‘família’, ‘pluralidade’ ou ‘comunidade’ divina é conhecida entre os teólogos como ‘Trindade’ (tri-unidade), palavra primeiro usada em grego por Teófilo de Antioquia (c. 117-181 d.C.) e depois cunhada em latim por Tertuliano (c. 160-220 d.C.).” - Revista Sinais, janeiro-fevereiro de 2003, pág. 15

 

Do Livro Trinity página 150, em nossa tradução:

 

“É verdade que o Concílio de Nicéia e o Concílio de Constantinopla fizeram declarações que agora nós devemos rejeitar porque elas discordam das Escrituras.

Em certos aspectos do entendimento de Athanasius(1) sobre o Filho, hoje ocasionam mais problemas do que eles resolvem, inclusive a sua descrição do Filho como ‘eternamente unigênito’.

Mas estas coisas nem são partes e nem necessário para a fórmula Trinitária de Deus. No entanto como Adventistas, nós não podemos reconhecer o concílio com autoridade, nós devemos reconhecer o valor dos argumentos de Basil(2) sobre as Escrituras e sobre o culto. Nós não aceitamos a fórmula Trinitariana baseada baseada num dogma da igreja(3), ou dos concílios da igreja, mas no fato que melhor representa o que as Escrituras apresentam sobre o Pai, Filho e o Espírito Santo como um Deus.”

 

(1) Athanasius estava certo ao repetir o que a Bíblia diz e “unigênito” é uma condição que só teria mudado se Jesus tivesse um irmão da mesma origem (Unigênito de Deus).

 

(2) Basil – Padre catolico.

 

(3) Os “doutores em divindade” da Andrews aceitam a mercadoria de ROMA, apenas não gostaram da embalagem! (não querem que a “embalagem” venha com o rótulo de Nicéia). Não aceitam a doutrina da trindade como um dogma imposto pela igreja Católica. Os próprios teólogos Católicos consideram a doutrina da trindade um dogma, (uma imposição) por não estar sustentada na Bíblia.

 

 

Rua 9 de Julho, 1600 - Ipiranga

CEP - 88.111-380 - São José/SC

 (48) 246-8184

VOLTAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.