Make your own free website on Tripod.com

A VERDADE

Acima de Tudo!

 

 

 

...todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo! I Cor 8:6

24 – COMO CONSIDERAREMOS A JESUS CRISTO?

 

A Palavra de Deus nos dá a resposta clara sobre quem devemos nós entender que Cristo é. Na primeira carta de Paulo a Timóteo, este explicou a ele quem era Jesus:

 

"Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" I Timóteo 2:5

 

A Bíblia nos afirma claramente que O Filho de Deus, Jesus, chamado de "Verbo", "se fez carne" (Jo. 1:14); tornou-se homem exatamente como nós, participando igualmente da carne e sangue, assim como nós temos carne e sangue (Heb. 2:14). Todavia, não encontramos nenhum relato bíblico que afirme ter Jesus voltado a ser Deus após ter sido "feito" carne. Assim, é simples concluirmos que, se a Palavra de Deus não diz que Ele mudou de estado existente (de homem para Deus) após ter encarnado, a verdade é que Ele permaneceu da forma em que se "fez" quando se fez carne - permaneceu na forma de "homem". E Paulo simplesmente comenta esta verdade em sua carta a Timóteo, dizendo que temos a "Cristo Jesus, homem" como Mediador entre Deus e nós no Céu. Esta é a verdade colocada de forma simples, que, espera Deus, aceitemos. Cristo Jesus se uniu à raça humana por laços que não foram partidos. A Bíblia afirma que Ele "não se envergonha" de nos chamar "irmãos" (Heb. 2:11), mostrando que está perfeitamente identificado conosco hoje, possuindo a mesma natureza que nós. Nós não temos a Deus por irmão, e sim a homens. E convinha que assim o fosse, que Cristo Jesus se tornasse um irmão de nossa raça, para como nosso irmão, idenficado com as nossas necessidades e fraquezas, poder fazer propiciação por nossos pecados diante do Pai (Heb. 2:17).

 

A crença em um Cristo igual ao Pai em poder, glória e soberania hoje, após Sua encarnação e morte da cruz, contraria o ensinamento bíblico de que Aquele que faz hoje mediação por nós, o Filho de Deus, é um homem: "há um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus homem" I Timóteo 2:5. Este ensino, comum na maioria das denominações cristãs atuais, também favorece o credo trinitariano, que afirma que há um Deus composto de três pessoas iguais. Para que este credo seja mantido como verdadeiro, é preciso encontrar amparo bíblico para o ensinamento de que Cristo é hoje igual ao Pai em poder, glória e majestade; e como pudemos verificar, tal amparo não existe na Palavra de Deus.

 

Uma vez tendo claramente estabelecido pela Palavra de Deus que há um só Deus o Pai, e entendidos os textos que nos dariam a idéia de Jesus ser também "Deus", o que vimos não ser verdade, resta-nos estudar, pela Palavra de Deus, como consideraremos a Cristo - qual é a Sua natureza, posição e obra hoje, a fim de podermos considerá-lo da maneira correta e honrarmos ao nosso Deus e Pai.

 

 

24.1 - Sua natureza

 

Temos como estabelecido até aqui a verdade absoluta da Palavra de Deus de que "há um só Deus, o Pai, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem". Desde que se fez carne, Jesus, o Verbo, que era Deus, passou a ser homem e assim permaneceu até hoje. Sim, Jesus era da substância de Deus e passou a ser de carne e osso, como nós o somos (Heb. 2:14-18; 5:7-9; I Tim. 2:5). Possui hoje um corpo humano glorificado. Verdade é que seu corpo possui mais glória (se assim o podemos dizer) que qualquer outra criatura no Universo, pois foi ungido por Deus com "óleo de alegria" mais "que todos os Seus companheiros" (Heb. 1:9). Isto no que concerne à Sua natureza, à composição do Seu corpo.

 

 

24.2 - Sua posição hoje

 

Jesus Cristo - o Senhor

 

O mesmo texto que estudamos ao princípio e demonstrou-se ser a ¨verdade absoluta da Palavra de Deus, revelando-nos quantos deuses há, nos revela a verdadeira posição de Cristo, reconhecida pelos apóstolos e que permanece até hoje:

 

“todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo” I Coríntios 8:6

 

A verdade absoluta da Palavra de Deus, confirmada pelo testemunho de todas as versões da Bíblia, é que para nós há um Senhor – Jesus Cristo. Esta é a posição de Jesus. A Palavra de Deus afirma que foi o Pai quem O exaltou a esta posição após Seu imenso sacrifício consumado na cruz em favor do ser humano:

 

“a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” Filipenses 2:8-11 (ênfase suprida, grifo acresentado)

 

Em obediência ao mandado de Deus, os apóstolos confessavam a Jesus, não como Deus, mas como "Senhor":

 

Pedro:

 

"Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo." Atos 2:36

 

" Esta é a palavra que Deus enviou aos filhos de Israel, anunciando-lhes o evangelho da paz, por meio de Jesus Cristo. Este é o Senhor de todos." Atos 10:36

 

Decisão dos apóstolos do concílio de Jerusalém:

 

"homens que têm exposto a vida pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo." Atos 15:26

 

Paulo:

 

"Vós bem sabeis como foi que me conduzi entre vós em todo o tempo, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia,...testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo." Atos 20:17, 21

 

"e foi designado Filho de Deus com poder, segundo o espírito de santidade pela ressurreição dos mortos, a saber, Jesus Cristo, nosso Senhor,...

A todos os amados de Deus, que estais em Roma, chamados para serdes santos, graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." Romanos 1:4, 7

 

" à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para ser santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:" I Coríntios 1:2

 

"Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor." I Cor. 1:9

 

Tiago:

 

"Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas." Tiago 2:1

 

Judas:

 

"Vós, porém, amados, lembrai-vos das palavras anteriormente proferidas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo," Judas 1:17

 

João:

 

"Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus!" Apocalipse 20:20

 

"A graça do Senhor Jesus seja com todos." Apocalipse 22:21

 

 

Deus exaltou a Jesus após o Seu sacrifício. Diz a Palavra que Deus deu um nome a Ele (Senhor), e portanto toda a língua deve confessar que Jesus é “Senhor” para a glória de Deus, o Pai (toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai  - Fip. 2:11). Desta maneira, obedecemos ao evangelho eterno, pois este diz:

 

“Temei a Deus, e dai-lhe glória...” Apocalipse 14:7

 

Aprendemos até aqui, pela Palavra de Deus, que devemos temer ao único Deus, o Pai, e dar-lhe glória. Como damos glória a Ele? Confessando que Jesus é Senhor da nossa vida. Note que a declaração de fé de Paulo expressa em I Coríntios 8:6, estava em plena harmonia com o evangelho eterno:

 

“todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo” I Coríntios 8:6

 

 

24.3 - O evangelho eterno - Da idolatria à santificação

 

Como o evangelho é eterno, portando, imutável, exige de nós que tenhamos a mesma fé dos apóstolos, reconhecendo e temendo a Deus o Pai como o único Deus e Soberano do universo, e dando glória ao Pai, confessando a todo o momento que Jesus é o Senhor da nossa vida. Deixamos a adoração a outros deuses diferentes do Pai, e nos convertemos a Cristo. Tal era o resultado que produzia o evangelho eterno quando pregado por Paulo, segundo está escrito:

 

"pois eles mesmos, no tocante a nós, proclamam que repercussão teve o nosso ingresso no vosso meio, e como, deixando os ídolos, vos convertestes a Deus, para servirdes o Deus vivo e verdadeiro" I Tessalonicenses 1:9

 

Posto que o evangelho é eterno, deve hoje operar o mesmo resultado nos que o recebem que operou no passado nos crentes Tessalonicenses. Nos tira da idolatria e nos converte a Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.

 

“Para nós há um só Deus, o Pai... e um só Senhor, Jesus Cristo”, foi a confissão de Paulo, movido pelo evangelho eterno, e tal deve ser a nossa confissão hoje. Devemos temer a Deus Pai, e Jesus deve ser nosso único Senhor, em lugar do cigarro, da bebida, da carne, da satisfação do apetite pervertido, do orgulho, do amor do eu. Jesus nos ordena a guardar todos os mandamentos da lei de Deus, e se o confessamos como o único Senhor da nossa vida, devemos obedecê-lo guardando os mandamentos. Jesus disse:

 

“Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” João 14:15

 

“Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra” Mateus 5:17, 18

 

Guardando todos os mandamentos da lei de Deus, estaremos confessando de fato que Jesus é nosso Senhor, e glorificando a Deus. Estaremos de fato obedecendo ao evangelho eterno, crendo na Palavra de Deus.

 

 

24.4 - Jesus Cristo – o Sumo Sacerdote

 

A Palavra de Deus declara que Jesus, após ter obtido a vitória sobre o pecado na Terra e ascendido aos céus, foi nomeado por Deus como Sumo Sacerdote, à semelhança dos Sumo Sacerdotes terrestres, que oficiavam no templo de Jerusalém, em Israel:

 

Porque todo sumo sacerdote, sendo tomado dentre os homens, é constituído nas coisas concernentes a Deus, a favor dos homens, para oferecer tanto dons como sacrifícios pelos pecados, e é capaz de condoer-se dos ignorantes e dos que erram, pois também ele mesmo está rodeado de fraquezas....

 

Ninguém, pois, toma esta honra para si mesmo, senão quando chamado por Deus, como aconteceu com Arão. Assim, também Cristo a si mesmo não se glorificou para se tornar sumo sacerdote...

 

Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade,  embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem, tendo sido nomeado por Deus sumo sacerdote....” Hebreus 5:1,2 ,4 , 7-10 (ênfase suprida)

 

A Palavra de Deus também nos declara que Jesus, como sumo sacerdote, está familiarizado com nossas dificuldades. Ele viveu na Terra como homem e ascendeu aos céus como homem. Foi tentado por Satanás (Lúcifer), o diabo, e enfrentou as mesmas dificuldades que nós enfrentamos para cumprir toda a lei de Deus. Sabe que nós, a fim de obedecermos ao evangelho, dando glória ao Pai, precisamos obedecê-lo e cumprir a lei de Deus. Mas Ele não nos pede para fazer nada que Ele mesmo não tenha feito. Tendo sido tentado em todos as coisas, mas “sem pecado” (Heb. 4:15), Ele sabe qual é a medida de poder (Sua graça) que precisamos receber em cada situação, de maneira que, uma vez convertidos, possamos vencer o diabo e permanecer constantemente em obediência à lei de Deus. Assim, como Sumo Sacerdote nos céus, Ele está pronto a nos conceder todo o poder necessário para que obedeçamos a Deus em todas as circunstâncias:

 

Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida. Pois ele, evidentemente, não socorre anjos, mas socorre a descendência de Abraão. Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel Sumo Sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo.”

 

“Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande Sumo Sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi Ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.”

“Pois naquilo que Ele mesmo sofreu, é poderoso para socorrer os que são tentados.” Heb. 2:14-17; 4:14-16; 2:18 (ênfase suprida)

 

 

 

Rua 9 de Julho, 1600 - Ipiranga

CEP - 88.111-380 - São José/SC

 (48) 246-8184

VOLTAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.