Make your own free website on Tripod.com

A VERDADE

Acima de Tudo!

 

 

 

...todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo! I Cor 8:6

14 – REFLEXÃO

Segundo a Bíblia, Deus é “um”. Mas a Bíblia afirma que Deus é um porque o Pai e o Filho são “um”. Isto é comprovado por uma série de passagens bíblicas:

 

11 Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, assim como nós.

22  Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; João 17:11, 22

29  Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.

30  Eu e o Pai somos um.” João 10:30

 

Jesus, afirmou expressamente que Ele e Seu Pai são um. Ele não inclui a nenhum outro. Se Ele não incluiu, tampouco nós o podemos. Além disso, Jesus afirmou que ninguém conhecia ao Pai senão Ele:

 

Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.” Mateus 11:27 

 

Além de dizer que Ele e Seu Pai são “um”, Jesus afirma expressamente que ninguém conhece o Pai senão Ele e aquele a quem o Ele o quiser revelar. Estas duas afirmações de Jesus excluem completamente a possibilidade de assumirmos que possa haver algum outro ser que seja um com Deus Pai e Seu Filho, e conheça a Deus Pai como um Filho.

 

Portanto, devemos nos manter com o que a Bíblia afirma – Jesus Cristo e Deus o Pai são um. Não inclui uma terceira pessoa. Assim, não há qualquer base bíblica para afirmarmos que exista uma pessoa adicional que componha uma unidade com Deus Pai e Seu Filho Jesus Cristo, tal como afirma a doutrina da Trindade. Temos então que, se a doutrina da Trindade afirma algo que não possui base bíblica, ela não possui base bíblica que a possa suster. Sendo assim, não há como aceitá-la. 

 

O texto de I João 5:7-8 que supostamente confirma a Trindade -- “Pois há três que dão testemunho no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra: o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito.” -- foi acrescentado ao original. A Bíblia de Jerusalém afirma isto categoricamente. Outras versões da Bíblia, como a tradução João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada, trazem o texto entre colchetes ou mesmo em itálico, mencionando que os textos apresentados de tal forma na Bíblia não pertencem aos manuscritos originais. Portanto, não se faz sequer necessária a análise deste texto, pois ele não possui nenhuma autoridade (não foi inspirado, não faz parte da Bíblia, em verdade).

 

Um ponto relativo a este texto nos deveria chamar a atenção:

 

Uma vez que os escritos da Bíblia foram inspirados por Deus, devemos crer que qualquer tentativa de acréscimo a eles não deve provir da parte de Deus, mas sim de Satanás, o adversário das almas. Se Satanás teve tanto interesse em colocar um texto que favoreça a crença em uma Trindade, não é difícil desconfiarmos que a própria crença nela pode ser da vontade dele, o arquiinimigo das almas.

 

Caso uma doutrina qualquer possa ser mantida pelo estudo de outros textos bíblicos, por que seria necessário adicionar um texto para confirmá-la? Não temos e não precisamos, por exemplo, de nenhum texto bíblico acrescentado para “provar” que a observância do sábado possui base bíblica.

 

A Bíblia, em Apocalipse 5:13, nos mostra com clareza a quem devemos adorar:

13  Então, ouvi que toda criatura que há no céu e sobre a terra, debaixo da terra e sobre o mar, e tudo o que neles há, estava dizendo: Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos.

14  E os quatro seres viventes respondiam: Amém! Também os anciãos prostraram-se e adoraram.” Apocalipse 5:13-14

 

O texto menciona apenas o Pai (aquele que está assentado no trono) e o Filho (Cordeiro) como sendo dignos de adoração. Assim, possuímos base bíblica sólida que confirma a adoração a Deus Pai e ao Senhor Jesus Cristo. Procuramos algum texto bíblico que nos recomendasse ou mesmo permitisse adorar algum outro ser além de Deus Pai e Jesus Cristo e não encontramos. Mas em nenhuma passagem das Escrituras é sequer cogitada a possibilidade de adorar a outros seres que não o Deus Pai e o Deus Filho.

 

A Bíblia é expressa em ordenar a adoração apenas ao Pai e ao Filho. Entretanto, a doutrina da Trindade, conforme vimos no primeiro capítulo deste estudo, afirma que o Espírito Santo é digno de adoração, tal qual o Pai e o Filho:

 

C – O Espírito Santo é digno de adoração, assim como o Pai e o Filho.

 

Desta forma, segundo observamos, a doutrina da Trindade esta claramente contra a Bíblia. Entretanto, o problema não é somente este. Se a Bíblia ordena que somente Deus Pai e Deus Filho (Jesus Cristo) devem ser adorados, e estamos adorando a um outro ser, quem seria este ser? Qual é o ser que deseja para si a mesma adoração que é merecida somente a Deus? Este não pode ser um dos seres não caídos, pois eles não aceitam adoração. O anjo Gabriel, em Apocalipse 19:10, exemplifica isto:

 

Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.” Apocalipse 19:10

 

O ser que deseja a adoração como a que é merecida somente por Deus é Satanás, segundo a Bíblia mesma mostra: “Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo.” Isaías 14:14 

 

É Satanás quem quer ser semelhante ao Deus Altíssimo (Deus Pai – ver Lucas 1:32, 35). Assim, se adoramos a outro que não ao Deus Pai ou ao Deus Filho – Jesus Cristo,  estamos adorando a Baal, ou seja, a Satanás. E a Bíblia chama ao pecado de idolatria de “abominação”, que traz os juízos divinos contra Seu povo.

 

Disto decorre uma grande preocupação, pois se somos hoje o Israel espiritual, como cremos, e estamos, através da crença da Trindade, em pecado aberto de idolatria contra Deus, os juízos divinos devem estar prestes a cair sobre nós. A espada é o destino certo para aqueles que praticam a idolatria.

 

Os capítulo 9 de Ezequiel, o qual sabemos se cumprirá no futuro, exemplifica bem qual é a condenação iminente para aqueles que se encontram em idolatria. Entretanto, o mesmo capítulo relata quais serão os selados:

 

3  A glória do Deus de Israel se levantou do querubim sobre o qual estava, indo até à entrada da casa; e o SENHOR clamou ao homem vestido de linho, que tinha o estojo de escrevedor à cintura,

4  e lhe disse: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal a testa dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela.” Ezequiel 9:3, 4

 

Se estamos em idolatria como um povo, vamos nos converter a Deus enquanto é tempo, e Ele se voltará para nós. Clamemos entre o pórtico e o altar dizendo: “poupa ó Senhor o Teu povo” (Joel 2:17).

 

A conclusão, de fato, sobre esse assunto, cabe agora a você!

 

 

Rua 9 de Julho, 1600 - Ipiranga

CEP - 88.111-380 - São José/SC

 (48) 246-8184

VOLTAR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.